terça-feira, 1 de janeiro de 2019

O ANO NOVO: CONVITE A UMA REFLEXÃO PARA SERMOS MELHORES E FAZERMOS UM MUNDO MELHOR

Edvan Cajuhy¹
O Ano Velho se vai, como tudo se vai. O Ano Velho se finda, como tudo se finda, O Ano Velho passa, como tudo passa. Exceto a graça de Deus. Esse pensamento é o que deveríamos ter. Termos a consciência de que tudo passa. Mas, tem pessoas que tem o costume de arrastarem tudo que poderia ter deixado para trás, para o presente.

O Ano Velho se vai. O ano que esta terminando foi muito difícil pra muita gente, foi um ano marcado por muitos acontecimentos ruins, no Brasil por uma eleição marcada pelo discurso do ódio, do rancor e da violência que acabou por revelar um lado ruim e maldoso de muita gente, uma disputa pelo poder pautada na discriminação e no racismo, na xenofobia, na homofobia e todos outros tipos de “fobia” existentes, vimos tudo isso aqui no Brasil.

Era de se espantar “adoradores” do Cristo que foi vitima do poder do Estado, pedindo a volta da ditadura, da tortura, da guerra civil. “Cristãos” sedentos de vingança confundido com justiça, tudo em nome de um deus, que até então não conhecia. Professores formados em história ou outra graduação dizer e afirmar que no Brasil não teve ditadura militar ou que “não foi assim” como dizem. Tudo isso pensando que todos terão acesso a passearem nos corredores do poder lá dentro dos palácios governamentais?

Não aprendemos muita coisa, não amadurecemos muito, nos comportamos como na Idade Medieval e  agora com personagens diferentes. Esse ano que se finda foi assim, crimes, corrupções, muitos criminosos presos, outros encobertos pela justiça dos homens, catástrofes naturais e sociais.


Mas, também tivemos muitos momentos bons, alegres e prazerosos. Realizações pessoais, profissionais e outros momentos bons tão individuais, que ficam nas reminiscências de acordo com a consciência de cada um, guardado no mais secreto recôndito de sua alma e ser.

O Ano Novo se vai e com ele deixemos ir, toda essa mesquinhez que nos pesam a alma e a nossa consciência. Deixemos ir, nossas arrogâncias religiosas e intelectuais que nos encheu de soberba. Deixemos ir, nosso orgulho pequeno que nos faz acharmos que somos melhores que os outros, deixemos ir, nossos rancores e raivas que faz mal ao outro, mas, principalmente a nós mesmos. Deixemos ir o ódio que alimentamos nossa alma, fazendo-a amarga, triste, feia, suja e pesada, esse ódio que causa doença e dor. Deixemos ir nossa falta de consciência ambiental, politica e social. Deixemos ir nossa incapacidade de compreender os diferentes de nós e os que pensam diferentes de nós. Deixemos ir nossa prepotência que nos impede de crescermos e aprendermos com os outros.

O Ano Novo chega e com ele a possibilidade de melhorarmos, de crescermos, de agirmos diferente, de mudarmos nossas atitudes e palavras erradas, para aliviar o peso da nossa alma e da nossa consciência.

O Ano Novo chega e com ele vamos cativar paz, o amor, a esperança e a justiça social. Vamos colocar nossa inteligência para a compreensão de nós mesmos, do outro e do mundo. Vamos explorar mais nossa criatividade ao invés de estarmos gastando nossas energias com fofocas e discursões desnecessárias com a ínfima pretensão de demonstrarmos nossa “superioridade”.

O Ano Novo chega e com ele busquemos a serenidade, a coragem para lutar pelos nossos objetivos e por melhores condições de vida e “vida em abundancia” para nós mesmos e os nossos semelhantes. Vamos cativar apenas o que é bom, porque quando alguém nos pede algo, que possamos dar somente o que temos muito e se muito de bom temos, por isso daremos o bem e se tivermos o ruim é o mal que daremos. Eu prefiro dar o bom, o bem e o belo.

O Ano Novo chega e com ele a possibilidade de lançarmos um novo olhar com uma  perspectiva de enxergar a realidade e ver a nós mesmos, o outro e o mundo. O Ano Novo nada mais é do que a própria continuidade do tempo que calendariamanete foi organizado pelo monge gregoriano. Mas, com a possibilidade de refletirmos sobre nós mesmos, os outros, O Outro e o mundo.

O Ano Novo chega e com ele quero desejar a todos os familiares, membros da ACLASB, amigos, colegas, conhecidos, vizinhos, professores, artistas, escritores, poetas, apoiadores, patrocinadores, estudantes, radialistas, repórteres  e os excluídos da sociedade, das religiões, da justiça dos homens, a todos os profissionais que contribuem com o crescimento da sociedade: paz, amor, felicidade, serenidade, inteligência, compreensão, tolerância, respeito, esperança com ação, prosperidade com trabalho e fé com oração e obras. Que Deus o autor da vida nos abençoe hoje e sempre! Feliz Ano Novo nesse Ano Novo que Chega! Abraço a todos! São os sinceros votos de:

  Edvan Cajuhy

                                                     Presidente

              Academia de Letras e Artes de Senhor do Bonfim - ACLASB

Edvan Cajuhy¹

¹Nivel superior em pedagogia e especialização em Ensino Superior e docência no Contexto do Seminário pela Universidade do Estado da Bahia – Uneb – Campus VII – Senhor do Bonfim; Especialização em Gestão Escolar pela Escola de Gestores da Universidade Federal da Bahia – UFBA; Escritor, poeta, cronista, artista plástico, membro-presidente da Academia de Letras e Artes de Senhor do Bonfim; professor da rede publica municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.