segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

SOBRE LITERATURA POR EDVAN CAJUHY

Nível superior em pedagogia e especialização em Ensino Superior e docência no Contexto do Seminário pela Universidade do Estado da Bahia – UNEB – Campus VII – Senhor do Bonfim; Especialização em Gestão Escolar pela Escola de Gestores da Universidade Federal da Bahia – UFBA; Escritor, poeta, cronista, membro-presidente da Academia de Letras e Artes de Senhor do Bonfim; professor da rede publica municipal.
Começo este texto citando Carlos Drummond de Andrade: “Lutar com as palavras é a luta mais vã”. Lutarei com as palavras, tentando usá-las da melhor forma, na esperança de conceituar ou discorrer sobre o que é LITERATURA, um conceito sucinto, talvez não o esperado pelo o (instrutor) que me fez o desafio, mas um conceito, diria de uma pessoa que se encanta com as palavras, um amante daquilo que é bom e belo, a arte (a literatura).

Poder-se-ia dizer que o conceito de literatura é muito amplo, é um conjunto de obras escritas com uma estética artística, onde o escritor, o literato, o criador da obra, está numa luta com as palavras, articulando-as da melhor maneira, transformando-as em versos e prosas, contos e fábulas, poemas-poesias, estórias, romances, obras.

Obras que além de retratar estilos de uma época, retrata a vida de um povo, uma estória, bem como nos apresenta arte escrita, nos revelando mundos e personagens, reais ou imaginários, alegorias e imagéticas com um estilo próprio de cada autor e o seu fazer com as palavras.


Daquilo que já conheço, conceituaria a literatura como a expressão do que é belo, arte, deslumbre para os olhos de quem as lê e alimento para as almas de quem as contempla. Vejamos o que diz o Minidicionário Luft, 1998 sobre o que seria literatura: Arte de produzir obras literárias; conjunto de normas a que obedece a estruturação das obras de arte verbal; conjunto de obras ou escritos literários.

Sim, “arte de produzir obras literárias” porque literatura é arte, arte de articular palavras, arte de lapidá-las como o pedrista lapida as pedras brutas e as transformam em verdadeiras joias. As palavras nas mãos do escritor é como o metal na mão do ourives, deve ser como o ouro trabalhado, assim falou Olavo Bilac.

Sim, “conjunto de normas”, normas da criatividade de quem escreve poemas, prosas, fábulas, enfim tudo que abarca e comporta a literatura, os gêneros. 

Sim, “obedece à estruturação das obras de arte verbal”, pois os gêneros são diferentes e cada gênero tem uma estruturação, mas, o escritor, principalmente o poeta é livre. Na arte há liberdade criacional. Escrever é arte, a arte é a expressão do belo e a beleza de uma obra é para ser apreciada, contemplada, sentida.

Literatura é o “conhecimento das belas-letras; o conjunto dos trabalhos literários de um país ou de uma época”, expressa o Minidicionário de Língua Portuguesa de Silveira Bueno. Literatura é o uso das palavras transformadas em arte, revelando épocas, estilos, costumes, vestimentas, politica de uma sociedade e o seu cotidiano ou revelando mundos imaginários.

Não tenho a certeza de ter conceituado bem, literatura. Mas, como diz Cecilia Meireles “(...) as palavras têm uma estranha potencia”, espero que as palavras com “estranha potência” tenha me feito expressar bem o conceito aqui discutido; ou como “certa palavra (...). É a senha do mundo”, como diz Carlos Drummond de Andrade. Quem sabe estas minhas palavras aqui escritas pelas minhas pobres mãos são fluídas do meu humilde conhecimento e, que elas tenham sido a “senha” para descobrimos a magia da literatura. E assim tenha eu, conseguido com esforço conceituá-la.

Em suma, literatura é a expressão da arte, arte expressa através da escrita em obras nos seus diversos gêneros e estilos.

Exploremos as obras literárias, pratiquemos mais a leitura, conheçamos os autores nacionais e internacionais, os antigos e os novos, conheçamos os autores locais, devoremos suas obras, aprendamos com eles, viajemos nos seus mundos, conheçamos seus personagens e sintamos a força de suas palavras, de seus poemas. Ler faz bem ao corpo, a alma e ao intelecto.

    Edvan  Cajuhy

                                                           Presidente

                     Academia de Letras e Artes de Senhor do Bonfim – ACLASB

Senhor do Bonfim, 07 de janeiro de 2019.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.