segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

CAFÉ COM A PRIMME CONTABILIDADE: JÁ VAI COMEÇAR O PERÍODO DE DECLARAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA (DIRPF), VOCÊ JÁ ESTÁ PREPARADO?


Olha só caros amigos leitores, chegando carnaval, porém logo em seguida teremos mais uma obrigação com o governo, é a Declaração do Imposto de Renda, o famoso Leão está bem acordado e pronto para analisar muitos casos de contribuintes, por isso da importância desse momento. Com isso, a Primme Contabilidade & Gestão de Negócios vem hoje esclarecer algumas das questões mais corriqueiras  quando o assunto é Declaração Imposto de Renda. Vamos lá!

01 - Quais documentos preciso para declarar?

R: Essa é uma das partes mais importantes da entrega da declaração do Imposto de Renda. Por isso, orientamos nossos clientes que separem com antecedência toda sua documentação.  A relação depende de caso para caso, mas vai uma lista:

- Documentos Pessoais: 1- Documento de identificação com CPF e RG;  2- Informar se houve mudança de endereço e apresentar o comprovante; 3 - PIS ou NIT caso seja autônomo; 4 - Caso tenha declarado ano anterior, apresentar o recibo (Consideramos importante levar a declaração também, para que seja analisada, para dar continuidade em algumas situações); 5 - O titulo de eleitor é opcional; 6 - Dados da conta bancária.

- Informe de rendimentos: O informe de rendimentos orienta na hora de declarar. Cada caso tem o seu tipo de informe, são eles:

Informes concedidos pelas empresas tanto para o colaborador como para o empresário;  Informes ou extratos dos bancos sobre os investimentos; Informes emitido pela previdência social, para os beneficiários; Informes da previdência privada, caso contribua com alguma.

- Comprovantes de despesas médicas: Lembrando que só poderão ser utilizados aqueles permitidos para restituição.

- Comprovantes de despesas com educação: Só fazer uma ressalva que é muito corriqueira, Livros não podem ser dedutíveis, assim como cursos livres como atualização e idiomas não são.

- CPF dos dependentes.

- Documentos de imóveis e veículos:

- Extratos de Financiamentos, consórcios e outras dívidas contraídas.

02 -  Qual o prazo para entregar a declaração?

R: O prazo este ano de 2019 está menor, ele vai de 07 de março até 30 de abril.

03 - Como sei que sou obrigado a declarar no ano de 2019?

R: Segue a lista de obrigados em fatos ocorridos em 2018:

- Quem recebeu rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano de 2018.

- Quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributáveis exclusivamente na fonte superiores a R$ 40 mil.

- Quem tem bens de valor superior a R$ 300 mil

- Quem obteve algum ganho de capital na venda de bens ou direitos sujeitos ao pagamento de IR em qualquer mês do ano 2018

- Ter vendido um imóvel residencial e utilizado o valor da operação para adquirir outro imóvel residencial no Brasil num prazo de 180 dias.

- Quem obteve receita bruta superior a R$ 142.798,50 em atividade rural ao longo de 2018

04 - Quem pode entrar na minha declaração?

R: Essa pergunta é muito importante, pois nem todos que são dependentes financeiramente do contribuinte são consideradas como dependente na declaração. Só é vantajoso incluir na declaração, caso os dependentes não tenham renda, pois, caso possuam, deve ser adicionado à renda do contribuinte. É preciso seguir alguns critérios:

- Cônjuge, Companheiro ou companheira que viva mais de 5 anos ou tenha filho;

-  Filhos ou enteados até 21 anos de idade, ou, maior que 21 anos, quando incapacitado para o trabalho. Dos 21 aos 24 anos, quando não incapacitados, apenas quando cursando em ensino superior ou escola técnica.

- Possuindo guarda judicial, pode incluir irmãos, netos, bisnetos até 21 anos de idade, ou, maior que 21 anos, quando incapacitado para o trabalho. Dos 21 aos 24 anos, quando não incapacitados, apenas quando cursando em ensino superior ou escola técnica.

- Caso o contribuinte crie ou eduque menor pobre e possua guarda judicial, pode colocar em sua declaração como dependente.

- Pais, avós e bisavós que tenham recebido rendimentos tributáveis ou não, até o limite previsto na Legislação do Imposto de Renda;

- Pessoa absolutamente incapaz, da qual o contribuinte seja tutor ou curador.

Bom, são muitas as situações que poderíamos escrever vários artigos sobre cada uma delas, porém, inserimos aqui as dúvidas mais corriqueiras. Vale lembrar que para declarar com maior segurança o contribuinte deve procurar ajuda de um contabilista. Nós da Primme Contabilidade & Gestão de Negócios estamos disponíveis e preparados para analisar seu caso.

Vamos deixar uma pergunta para o próximo artigo: Será que o MEI está obrigado a declarar Imposto de Renda? Vamos responder e esclarecer esse assunto aqui mesmo, no Blog do nosso parceiro Neto Maravilha. Acompanhe, até lá!!

Estamos esperando por você  na Praça Juracy Magalhães, 290 – 1° andar (30m do Banco Bradesco) – Centro - Senhor do Bonfim/BA.
74 3541 0379
contatoprimmecontabilidade@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.