terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

NO DIA NACIONAL DOS PAPILOSCOPISTAS, PERITOS LAMENTAM O POUCO USO DA TÉCNICA NA BAHIA


No Dia Nacional dos Papiloscopistas, peritos técnicos destacam que se  a papiloscopia fosse mais utilizada poderíamos aumentar a elucidação dos crimes na Bahia

Nesta terça-feira(5), Dia Nacional dos Papiloscopistas, peritos técnicos baianos destacam a importância da papiloscopia ao processo de investigação criminal. Através do estudo das impressões digitais é  feita a identificação das autorias dos crimes de homicídio, latrocínio, crimes contra o  patrimônio, a exemplo de assaltos a veículos, bancos e carros-fortes, entre outras ocorrências de uma forma mais  rápida e barata.

Entretanto, apesar da Bahia possuir o maior contingente de papiloscopistas do Brasil, 380 profissionais, essa técnica é pouca utilizada no  combate ao crime do Estado. A papiloscopia é aplicada na Bahia em menos de 1% dos casos de violência contra pessoa ou patrimônio.

A Associação dos Peritos Técnicos (SINDPEP) e o Sindicato dos Policiais Civis (SINDPOC) ressaltam que a papiloscopia poderia ser uma ferramenta importante  à elucidação dos crimes na Bahia, caso fosse mais utilizada. O Estado, atualmente, consegue elucidar apenas 8% dos crimes.



O perito técnico e Vice-Presidente do SINDPOC, Diego Messias, esclarece que a Bahia utiliza mais a "investigação subjetiva"  a qual é baseada nas provas testemunhais e nas confissões. "Precisamos de um modelo de investigação mais eficiente, mais rápido para identificarmos os autores dos crimes. Nós peritos técnicos desejamos que o Estado implemente de forma mais efetiva a papiloscopia durante os processos de investigações criminais porque a ausência de elucidação dos crimes  aumenta a sensação de impunidade e, respectivamente, eleva a violência e o quadro de insegurança pública", frisa Messias, ao lembrar que  com as impressões digitais, suor e gordura deixadas no toque é possível  identificarmos com 100% de precisão os autores dos delitos.  "Geralmente, os criminosos não deixam rastros materiais na cena do crime. Com a papiloscopia conseguimos identificar o bandido através das impressões digitais que ficam, inclusive, nas próprias luvas,  munições, qualquer tipo de toque que seja dado na cena do crime", explica o perito Diego Messias.

Para o Presidente da Associação dos Peritos Técnicos  (SINDPEP),Alberto Durão, o potencial dos papiloscopistas é pouco aproveitado durante a investigação dos furtos, latrocínios e homicídios." A papiloscopia é fundamental para tentarmos melhorar atual situação da Segurança Pública no nosso Estado", ressalta, ao pontuar que, além  elucidação dos crimes, os papiloscopistas são   responsáveis pela identificação de mais de 90% dos cadáveres na Bahia.

"A papiloscopia identifica 98,7% dos corpos do estado, sob o custo material inferior a R$0,35 por exame, ao contrário do DNA que divide-se 1,3% restante com identificação por Arcada Dentária, tem custo médio material superior a R$ 500,00 por exame e não diferencia gênios univitelinos. A papiloscopia também é mais acessível dado ao banco de dados
civil vinculado a carteira de identidade dos cidadãos baianos. Os Papiloscopista atuam também em (Representação Facial) Retrato Falado e Prosopografia, essa última uma ciência de identificação de pessoas pela face”, concluiu.

SINDPOC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.