sexta-feira, 1 de março de 2019

POLÍTICA: CARLOS DE TIJUAÇU REVELA QUE SUPERINTENDENTE DE ATENÇÃO TRABALHAVA EM BONFIM E NÃO SABIA QUE SERVIDOR ESTAVA DE ATESTADO MÉDICO EM CAMPO FORMOSO NO MESMO PERÍODO


Ao usar a tribuna da Câmara de Vereadores na noite dessa quinta-feira (28), o Vereador Carlos de Tijuaçu, apresentou a versão do Dicionário Aurélio para explicar o significado do termo “fantasma”, numa forma de tentar contrariar as colocações do Vereador Dr. Laércio Jr, que apresentou denuncia na última quinta-feira (21), alegando que o superintendente de atenção básica recebia vencimentos dos municípios de Campo Formoso e Senhor do Bonfim. Não sabia o parlamentar que saiu em defesa do servidor, que havia sido exonerado na última sexta-feira (22), um dia após as denúncias apresentadas na Câmara, que de certo modo, estava complicando ainda mais as justificativas do servidor, pois, como mostra registro da ata de representantes de Tijuaçu na Secretaria de Saúde em Bonfim, quando aparece o superintendente de atenção básica, dia 09 de janeiro de 2019, nesse mesmo período o funcionário estava de posse de um atestado médico expedido por Dr. Alexandre M. Lima – Psiquiatra, do município de Senhor do Bonfim, assinado pelo médico no dia 07 de janeiro de 2019.


Ou seja, o funcionário apresentaria no município de Campo Formoso seu atestado médico lhe concedendo 15 dias de repouso, mas as imagens apresentadas por Carlos de Tijuaçu mostra que o servidor estava trabalhando, como bem frisou o parlamentar na sessão do dia 28 de fevereiro de 2019, na Câmara de Bonfim.

A mais nova façanha se deu quando o funcionário de Campo Formoso teve sua cessão decretada pela prefeita Rose Meneses ao município de Bonfim, nessa quarta-feira (27), com a condicional de Senhor do Bonfim se responsabilizar pelos ônus, ou seja, pelo pagamento do servidor.
Nessa quinta-feira (28), Neto Guimarães retorna ao quadro de comissionados e reassume a função de superintendente de atenção básica em Senhor do Bonfim, conforme decreto municipal assinado pelo Prefeito Carlos Brasileiro.

Pairam perguntas no ar: O fato de o servidor retornar a Bonfim na mesma função extingue a investigação do MP, que apura a possibilidade de acumulo de cargos pelo mesmo nos dois municípios?

O MP se comprovar a existência do acumulo de cargos irá pedir a devolução do que foi pago durante esse período em que foi recebido pelo funcionário pelos dois municípios?


Em contato com o Vereador Carlos de Tijuaçu, fomos informados que sobre o atestado médico, o servidor deve responder por Campo Formoso, mas seu objetivo ao trazer de volta o assunto na Câmara era tão somente desqualificar o termo “fantasma”, e confirmou que o servidor prestava serviços a Bonfim e existe.

Blog do Netto Maravilha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.