domingo, 2 de junho de 2019

POLICIAL: JOVEM COM DOSSIÊ POLICIAL FOI MORTO DENTRO DE CASA NO INTERIOR DE CAMPO FORMOSO

19:43

Por volta das 20h20min desse sábado (1º), mais um jovem foi executado a tiros no Povoado de Poços, interior de Campo Formoso.

De acordo com a PM a vítima identificada como BENEDITO VIEIRA DA SILVA NETO, 25 anos, vulgo “Bené”, morador do Bairro Bela Vista em Poços, encontrava-se em sua casa, quando um homem não identificado teria lhe chamado, ao atender a porta, Bené foi alvejado na coxa esquerda e no abdômen falecendo dentro de casa.

A polícia foi acionada e ainda realizou buscas com objetivo de localizar e prender o autor, mas não obteve êxito, também o SAMU esteve no local, porém só coube a equipe confirmar o óbito, a PM preservou o local até a chegada dos peritos do DPT.

Ainda segundo informações a vítima teria envolvimento com drogas e já havia sido preso, recentemente Bené vinha sofrendo ameaças.

Blog do Netto Maravilha/Ascom – 54ª CIPM

LIXÃO MAIS UMA VEZ COM FOCOS DE INCÊNDIO EM BONFIM

12:31

Brigadistas, bombeiros, máquinas, caminhão pipa todos mobilizados com o objetivo de debelar as chamas, as causas podem ser as mais vareadas, desde criminoso a acidental, uma vez que os catadores de materiais recicláveis, passam o dia inteiro no local e fazem fogo para preparar alimentos e por se tratar de um local onde existe vários gases inflamáveis, que são gerados pela fermentação de resíduos acumulados.

Como são vários focos em vários lugares diferentes, há uma grande possibilidade ser um incêndio criminoso.


CARAVANA DO RIO PARAGUAÇU TERÁ INÍCIO NESTA SEGUNDA-FEIRA (3) EM CACHOEIRA

12:11

A Caravana do rio Paraguaçu é uma ação da Campanha de Conservação da Bacia Hidrográfica do rio Paraguaçu que nasce a partir do colapso hídrico do rio Utinga, um dos principais afluentes da bacia hidrográfica. Com a morte do rio Utinga, em 2015, dezenas de ribeirinhos ficaram sem água pela primeira vez, por 45 dias, num percurso de 22 km, da sua foz na APA Marimbus até o município de Lajedinho (BA). Em 2016/2017 a situação voltou a repetir-se com mais intensidade. Na ocasião, o rio ficou seco por um período de 120 dias, abrangendo um trajeto de 35 km, deixando centenas de pessoas sem água. Diante desse colapso, as comunidades impactadas se articularam, paralisaram a BR 242 por duas vezes com intuito de denunciar e ao mesmo tempo cobrar das autoridades e do Estado o cumprimento da lei 9.433/1997.