24 de junho de 2019

"A GUERRA DA GUERRA"

18:57

Não se pode mergulhar numa queda de braço com a cultura de um povo. Qualquer criança, que um dia teve a oportunidade de ver e conhecer algo sobre Folclore, no maternal, sabe disso. Falando especificamente da cidade de Senhor do Bonfim, a "Guerra de Espadas", faz parte do íntimo, do imaginário do Bonfinense. 

Alguns Bonfinenses levam isso tão a sério, que acham que a data de seu nascimento é o dia que estreiam numa "Guerra de Espadas". Não se pode arrancar este sentimento do coração, sem matar, simbolicamente, o ethos do nativo desta terra. Por isso, a imposição de qualquer "norma" que testemunhe contra esse sentimento, nasce morta. E vai encontrar os óbices naturais dessa imposição. 

As autoridades públicas têm uma responsabilidade grande em ajustar uma normalidade social. A ordem deve ser preservada. É a justa medida que se impõe à elas, posto que são representantes da harmonia social.

Porém as autoridades que se colocam contra a cultura, acabam por perder legitimidade. É preciso que o diálogo vença e dê lugar a pacificação e harmonia sociais. Numa guerra real, todos, repito, todos perdem.

Se por um lado, vejo tudo isso ocorrer, de outro conclamo a todos a realizar um estudo técnico de viabilidade, demonstrando o potencial de cultura, a viabilidade econômica, a segurança e organização do evento, uma pesquisa de opinião pública e outras nuances que podem legitimar a "Guerra de Espadas". 

A alegria da noite mais alegre, não pode dar lugar a vaidade, a prantos de famílias inteiras, desesperadas, numa "Guerra da Guerra", tendo os espadeiros e os agentes públicos guerreando entre si. Não é esse tom que faz a autoridade moral dos homens públicos, se sedimentar ainda mais. É a capacidade de síntese o maior atributo deles. Temos que ouvir, estabelecer uma tese, sua antítese, para que a síntese seja eivada de legitimação social e de preservação da ordem pública.

Pergunto: Tudo que é legal, é moral??? Depois de vivenciar essa experiência, já encontrei a minha resposta a este questionamento. Pensem nisso, o São João de 2020, já começou. Mas é preciso ter atitude de mudar o status quo, porque de boa vontade, o inferno está cheio.

Edson Mascarenhas

JOVEM CORRE RISCO DE PERDER VISÃO APÓS SER ATINGIDA POR BALA DE BORRACHA NA NOITE DE SÃO JOÃO EM BONFIM

16:24

Proibida pelo terceiro ano, mediante pedido do Ministério Público, acatado pela Justiça de Senhor do Bonfim, a guerra de espadas tem sido tratada como crime pelas instituições que se baseiam em artigos que equiparam o artefato, até então não enquadrado e nem regulamentado pelo Exército, como artefato de explosão e segundo o Ministério Público pode causar “morte”, a guerra de espadas aconteceu de forma truculenta, na noite desse dia 23 de junho de 2019.


Amantes da guerra de espadas promoveram manifestações desde a tarde do dia 23, quando houve concentração na Rua Padre Severo, e ao mesmo tempo a presença maciça de forças policiais, tais como, RONDESP, CPAC, ROCAM, CETO, da PM, Bombeiros, que repreenderam qualquer tentativa de atear fogo em lenha, no local e dali se desencadeasse uma guerra, mesmo assim o povo permaneceu até a noite, saíram da Padre Severo e se deslocaram até a Praça Dr. José Gonçalves, quando já a noite houve queima de espadas em alguns pontos da cidade, porém na Praça Dr. José Gonçalves havia manifestações tipo rodas animada ao som de charanga, com cantoria, até que em determinado ponto houve uma ação das polícias que partiram para cima dos manifestantes com granada de luz, bomba de gás lacrimogênio e balas de borrachas.


QUADRILHA DE ESTELIONATÁRIOS É PRESA COM INGRESSOS FALSOS EM FESTA JUNINA NO INTERIOR DA BAHIA

15:42

Os agentes também apreenderam maquinetas de cartão de crédito e vinte mil reais em espécie.

Na tarde de ontem (23), a Polícia Rodoviária Federal prendeu quatro homens que aplicavam golpes do ingresso falso em festa junina particular. A ação ocorreu por volta das 17h30, no quilômetro 110 da BR 407, trecho de Jaguarari, município localizado na região Norte da Bahia.

A equipe foi informada por policiais militares que um veículo suspeito transitava pela rodovia. Imediatamente os policiais rodoviários federais iniciaram buscas no trecho, oportunidade em que avistaram um automóvel Chevrolet Onix, com quatro indivíduos no seu interior.

Durante a abordagem, foram encontrados no interior do veículo cerca de 50 ingressos com indícios de falsificação do Forro do Sfrega, festa particular que é realizada todos os anos na cidade de Senhor do Bonfim, distante 390 quilômetros de Salvador.