21 de dezembro de 2020

ESPAÇO: ESTRELA DE BELÉM SERÁ VISTA NESTA SEGUNDA-FEIRA, 800 ANOS




Popularmente chamado de "Estrela de Belém", o raro fenômeno estará visível a oeste, no começo da noite desta segunda-feira (21). Veja dicas de como acompanhá-lo


Em dezembro, Júpiter e Saturno vão estar o mais próximo um do outro desde a Idade Média (Foto: Patrick Hartigan)


Em 21 de dezembro, Júpiter e Saturno vão estar os mais próximos um do outro no nosso céu desde a Idade Média (Foto: Patrick Hartigan)


Nesta segunda-feira (21), um raro evento astronômico tomará conta do céu noturno. Trata-se da conjunção entre Júpiter e Saturno, momento em que os dois maiores planetas do Sistema Solar estarão alinhados. O fenômeno, popularmente chamado de "Estrela de Belém" ou "Grande Conjunção", marcará a maior aproximação entre os astros visível no nosso céu desde a Idade Média: a última vez que isso ocorreu foi no dia 4 de março de 1226, calculam especialistas.


Segundo Gustavo Rojas, astrofísico da Universidade Federal de São Carlos e colunista da GALILEU, os planetas serão os mais brilhantes no céu do início da noite, a oeste. "O ápice [do fenômeno] ocorre no dia 21, com uma conjunção sem precedentes na história recente", escreveu Rojas em sua coluna mais recente. "Ao telescópio, será possível apreciar os dois planetas e seus muitos satélites no mesmo campo da ocular. Uma visão memorável que não deve ser perdida."


A conjunção planetária poderá ser vista em todo o mundo, mas aqueles que vivem próximos à Linha do Equador terão uma melhor visão da aproximação. Com o céu limpo e o equipamento adequado — vale usar telescópio ou binóculo —, também será possível vislumbrar algumas das luas de Júpiter ou até mesmo o cinturão de anéis de Saturno.




Para acompanhar o alinhamento com todos os detalhes, pesquisadores cearenses farão uma transmissão ao vivo do evento nesta segunda-feira, entre às 18h e às 19h, com direito a explicações de comentários de Ednardo Rodrigues, professor de astronomia no curso básico da Seara da Ciência, órgão de divulgação científica da Universidade Federal do Ceará (UFC). A live, que poderá ser acompanhada no YouTube, é uma iniciativa em parceria com o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e o Planetário Rubens de Azevedo.



Revistagalileu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.