29 de janeiro de 2021

DESABAFO DA FILHA DO SENHOR ENVOLVIDO NO ACIDENTE ONTEM NA ROTATÓRIA DA MORTE




Bom dia Neto!

Bom dia Juan e todos os ouvintes dessa conceituada emissora!

Neto venho aqui demonstrar a minha indignação acerca da tal “rotatória da morte".

Ontem o meu pai se envolveu em um acidente nesse bendito lugar.

Quantas pessoas a mais precisarão perder a vida?

Quantas pessoas a mais precisarão perder seus bens materiais para que de fato algo seja feito?


Neto sou leiga no assunto. Não sou nenhuma engenheira de tráfego, e muito menos especialista na área, mas qualquer pessoa sem instrução nenhuma percebe que essa rotatória é uma aberração, um projeto mal elaborado e mal executado que vem causando danos aos seus usuários, sem estrutura alguma para assegurar a vida de quem trafega por esta BA.


Simplesmente nada é feito, um descaso total. As autoridades simplesmente fecham os olhos e ignoram os fatos. 


Se essa rotatória foi pensada para beneficiar, facilitar o acesso a policlínica, porque não a fizeram em frente a mesma e com passagem livre pelo meio, como o contorno da Coelba?


Fico indignada em ver pessoas tomando prejuízos financeiros, vidas ceifadas por conta de uma irresponsabilidade de quem nos representa e de quem projetou e autorizou a execução de uma obra que veio somente nos causar transtornos.


Deixo aqui minha indignação, minha inquietação, meu desabafo em relação a inércia dos nossos representantes que nada fazem para solucionar esse problema e a inércia da nossa população que vem sofrendo e nada faz para pressionar os responsáveis.


Graças a Deus Neto, o acidente que envolveu o meu pai só houve danos materiais, mas a preocupação e inquietação continua, pois certamente mais pessoas irão ter prejuízos e até perder a vida se nada for feito

Obrigada Netto pelo espaço!

Que nos abençoe e proteja a todos que precisam trafegar por esse lugar.


Josy - moradora de Missão do Sahy

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.