5 de fevereiro de 2021

GOVERNO CUIDANDO DA NOSSA GENTE DÁ MAIS UM PASSO PARA IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM JAGUARARI




Na perspectiva de humanizar, modernizar e potencializar a atividade dos catadores de resíduos sólidos que trabalham no Lixão, as Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Desenvolvimento Social, realizaram no Centro de Cultura Paróquia de Jaguarari, na quarta-feira (03), um encontro para a apresentação dos Equipamentos Individuais de Segurança (EPIs) que serão destinados para 27 catadores locais.


Os trabalhadores beneficiados estão cadastrados na Agência Nacional de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT), uma entidade privada, sem fins lucrativos, com sede em São Paulo, ligada ao Movimento Nacional dos Catadores.


Esta iniciativa faz parte de um conjunto de ações, que envolve o estudo e planejamento de adequação do município de Jaguarari às recomendações do Ministério Público Federal para a implantação de aterro sanitário nos municípios brasileiros que ainda não dispõem de mecanismo para destinação dos resíduos sólidos gerados nos serviços de limpeza pública.


No evento, que também contou com a presença de representantes da Rede Recicla Bahia e da empresa Exa Ambiental de Itiúba, foi destacado o papel do Movimento Nacional dos Catadores em Jaguarari. O objetivo da entidade é organizar os catadores de resíduos sólidos, por meio de cooperativas, no sentido de fortalecer a categoria neste município.


CARTA DE INTENÇÃO - A ANCAT e o Movimento dos Catadores entregaram ao prefeito Antônio Nascimento, Carta de Intenção, já encaminhada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (SEDUR), visando a elaboração de estudo técnico para a implantação de uma estação de transbordo que deve atender, além da sede, os distritos de Pilar e Santa Rosa de Lima.


Constam na Carta de Intenção, dentre outros pontos: a elaboração, execução e gestão de projeto que objetiva a instalação de uma usina de triagem mecanizada de resíduos sólidos urbanos, para separação dos resíduos orgânicos dos rejeitos recicláveis, para que estes possam ser tratados e comercializados. Além disso, o documento propõe a compostagem dos orgânicos para a produção de adubos e o direcionamento do material não reciclável para aterro sanitário.


Na ocasião, o prefeito Antônio Nascimento discutiu a necessidade de implantação da coleta seletiva e da educação ambiental na cidade e lembrou que, em suas gestões anteriores, a Prefeitura Municipal pagava um salário mínimo para cerca de oito famílias que trabalhavam no lixão, como incentivo e valorização da atividade da categoria, que ajudavam na organização do espaço do Lixão.


Outra meta da Prefeitura de Jaguarari é acabar com o lixão, garantindo, contudo, a sustentabilidade das famílias. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Antônio Carlos Xavier, com apoio da secretária municipal de Desenvolvimento Social, Maria Letícia Duarte, algumas providências já estão sendo tomadas. “Para dar sustentação a esse propósito, a secretaria está realizando um levantamento do quantitativo dos catadores de todo o município, para saber quantas famílias dependem diretamente da atividade. Dessa forma, poderemos construir políticas públicas fundamentadas na realidade delas”, afirmou Xavier. 


Após o evento, Xavier convidou o prefeito Antônio Nascimento, a secretária de Desenvolvimento Social Maria Letícia Duarte, os integrantes do Movimento Nacional dos Catadores, da Rede Recicla Bahia, da Exa Ambiental, que administra o aterro sanitário de Itiúba, para visitarem in loco os lixões situados na Sede, Pilar e Santa Rosa de Lima, a fim de analisarem as condições desses espaços.

 

  Assessoria de Comunicação Social

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.